Saturday, November 22, 2008

Fotossíntese



Meu plano era passar o final de semana fazendo o que as plantas fazem.
Meu plano era ser uma samambaia, um bambu ou uma mangueira, não importa.
Só por um final de semana, ficar imóvel diante do sol, como as orquídeas, as violetinhas, ou mesmo como o mato. Posso ser como o mato, não me apego à poesia, e sim ao sol.
Acho graça quando dizem de uma planta: "Ela gosta de sol?" E logo outro responde, "Claaaaro" ela adora sol." Eu, num impulso, completo que eu também, adoro sol.
Adoraria que me pusessem na varanda a tardinha, virada pro sol, como fazemos com os lírios aqui em casa. Como ninguém nunca faz isso, andei eu mesma, com as minhas próprias pernas, para uma varandinha, onde posso ficar diante do sol.
E, quando me achei um girassol, logo começou a conversa do envelhecimento precoce, da camada de não sei o que que nem existe mais, e das minhas sardas. Estou cheias de sardas, muitas, nenhum lisiantro me alcança. O sol -que nasceu para todos - é politicamente incorreto, é perigoso, um grande vilão o coitado. Coitado e coitado de nós, também que, claro, não podemos ser humanos impunemente.
Enquanto ponho minha cadeira na sombra penso que, elas sim, as tolas gérberas é que são felizes.

1 comment:

Carol Barcellos said...

Puxa, mas não é é mesmo uma injustiça? Nós, com camadas grossas de FPS 15, 30, 45 e até 50, enquanto até as florezinhas de mato ficam lá lindas e maravilhosas se expondo ao sol. Bem, ainda bem que o sol ainda não se tornou vilão em alguns horários nobres, e aí, sim, ponho minha cadeirinha bem embaixo dele, e fico mais morena ainda, hahaha...

Passa lá na Rosa, ela fez 1 aninho!

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o>